Cookies for my birthday

Comemorei meu aniversário de 25 anos com minhas amigas da faculdade em nosso encontro especial que fazemos há anos chamado Dia Gordes.

O dia Gordes começou após diversas conversas, em nossos almoços na faculdade, e as fantasias de sobremesas que imaginávamos enquanto tínhamos que ir para as aulas da tarde.

Dessas fantasias surgiu o encontro, o dia das gordices. Cada uma leva uma especialidade, e nos reunimos para comer e colocar o papo em dia. Nosso encontro já teve de tudo, brownies, bolos, doces, pavês, sorvetes e quase sempre tem cookies.

Uma das amigas até virou doceira profissional.

Os mais pedidos dos encontros são os cookies, bolo surpresa, e pão de queijo para quebrar o doce, talvez um dia mostre para vocês o bolo surprise.

COOKIES, COOKIES, COOKIES

Receita tradicional 

Ingredientes

4 xícaras de farinha de trigo

1 e 1/2 de açúcar mascavo

1 e 1/2 de açúcar normal ( ou de sua preferência)

4 ovos

4 colheres de sopa de manteiga ( use a sem sal se preferir)

1 colher  de sopa rasa de fermento

1 colher de chá de essência de baunilha

pitada de sal (dependendo da manteiga que usar)

170 gramas de chocolate meio amargo

170 gramas de chocolate ao leite

(mais outros chocolates se preferir como eu)

Modo de preparo

Junte a farinha, os açúcares, o fermento, ovos com essência de baunilha, manteiga em temperatura ambiente.

Pique bem o chocolate, misture tudo.

Quando estiver bem misturado, faça bolinhas e coloque na forma, se tiver papel manteiga melhor.

Asse por 15 minutinhos em forno pré-aquecido.

Incremente sua receita com castanhas, aveia ou uva passas se quiser.

Um dos meus favoritos é de nozes pecan com coco ralado e nada de chocolate, pasmem!

IMG_2347

Enjoy it  🙂

Ser Criativo, eu e você;

 

IMG_0413.JPG

(Melbourne – rua do graffiti)

Quando olhamos para o mundo vemos as mais variadas formas, cores e interações, todas expressando uma criatividade viva. A mesma que vive dentro de cada um de nós.

Na minha infância e adolescência não fui muito incentivada a ser Artística. Tive uma educação muito boa, e meus pais valorizaram o lado acadêmico, mas hoje corro atrás de viver expressando criatividade.  O que não precisa ser necessariamente artisticamente…

Tive um grande insight quando conheci o trabalho da doutora e autora Brené Brown. Ela tem diversos livros entre eles,  A coragem de ser imperfeito, ela descobriu que as pessoas de sua pesquisa que viviam por inteiro, sendo felizes, eram as pessoas que tinham um escape criativo, sendo pessoas que se colocavam em situação vulnerável.

Você já nasceu com a Criatividade dentro de você,  basta descobrir qual é sua tomada e ter coragem de seguir fundo, e se jogar nessa vulnerabilidade que no final vai fazer a gente se sentir por inteiro.

Vamos Juntos?

 

Beijos

 

Peanut Butter Coffee

Sabe aquela vontade de tomar um cafézinho diferente?

Então aqui em casa meu irmão, Gabriel, virou o chefe gourmet de fazer café.

Todos os dias ele coloca água para ferver e passa aquele café de coador.

Quando viajamos no inverno passado experimentamos um café com peanut butter, pasta de amendoim.

Depois de passar muito tempo com amigos americanos, hoje em dia eu amo pasta de amendoim. Aqui tem a integral, que é sem açúcar e sem nada, só o amendoim prensado mesmo, mas você pode usar a que quiser.

Esta receita dá tanto para fazer com café quente ou gelado.

10453201_10153945874199522_2111515668_n

Ingredientes:

Meia xícara de café preto

1 copo de leite desnatado

3 gotinhas de essência de baunilha

1 colher de sopa de pasta de amendoim

Açúcar, mel ou adoçante à gosto

Canela à gosto

Preparo quente:

Prepare o café e reserve-o aquecido, ferva o leite e coloque no liquidificador, bata para espumar com a baunilha, a pasta de amendoim, o adoçante e polvilhe um pouco de canela em pó.

Bata por um minutinho para espumar.

Coloque seu café numa xícara grande e coloque o leite batido por cima, decore com um pouco de canela e pronto, quase um Starbucks ou Gloria Jeans. HAHA.

Para frio só deixar o café e o leite gelados e adicionar algumas pedras de gelo.

 

Beijos doces,

Aproveite!

O discurso

Sabe aquela conversa que acontece dentro da nossa cabeça?  Aquele discurso que roda e roda sem parar.

Algumas vezes cheira à flores e outras nem tanto…

“Não posso. Não consigo. Não sou o suficiente. Já fizeram antes.”

Acho impressionante quando paramos para escutar e prestar atenção na conversa acontecendo dentro da nossa caixinha.

Eu mesma até começar este blog tive uma conversa, e confesso ao dizer que não foi uma tão cheirosa. “Já tem tantos blogs. O que eu teria a oferecer? Quem vai ler o que eu escrever?”

Talvez tenha sido um dia bom, ou uma palavrinha de incentivo de alguém ou até uma vozinha que veio de Deus dentro de mim para que enfim eu começasse, mas quantas vezes deixamos de lado. Quantas vezes você já deixou de fazer algo, porque na própria conversa dentro de sua cabeça perdeu o discurso?

Um dos meus filmes favoritos é O discurso do Rei  se você nunca assistiu recomendo muito. A história é verídica, sobre o rei George VI, que era gago, e seu terapeuta de fala, Lionel Logue, talvez eu seja apaixonada por este filme porque sou psicóloga e acho lindo o encontro de Lionel com Bertie, o rei. Não vou contar o desenrolar do filme, vale a pena assistir, no entanto minha cena favorita é quando eles estão ensaiando para a coroação de Bertie e após uma conversa agitada entre eles, Lionel o provoca “Por que você tem direito de ser ouvido?” e com isso O Rei grita “Porque eu tenho uma voz!“.

Na minha opinião é a fala mais emocionante do filme – PORQUE EU TENHO UMA VOZ! – inspirador, não?

Então digo para você, para mim, para todos nós, quando o discurso vir de dentro, ou até mesmo de fora da cabeça, lembre-se, você tem uma voz que merece ser ouvida.

Beijos de paz e amor.