O Homem por quem me apaixonei

Achei que ele fosse diferente.

Pensei que fosse do tipo acolhedor e sério, que busca o amor mais intenso e o encontro de almas.

Queria que ele também gostasse de usar roxo, e que também quisesse seguir a corrente boiando. (Entenda essa referência aqui.)

Queria que ele não deixasse a mochila dos pesos de expectativas da família sufocá-lo, enquanto tenta subir a montanha da Prata, para ao chegar do outro lado, perceber que com todo aquele tempo, a prata já escureceu.

Queria que ele percebesse que podia ir mais alto, mais alto do que o próprio teto que construiu para si.

Queria que ele também concordasse que um sorriso no rosto e a alma lavada, no fim do dia, valem mais do que um grande salário no fim do mês.

Queria mostrar para ele a menina dançando, o algodão doce rosa e a pipa voando no céu; mas ele nada conseguia enxergar pela tela do celular.

Queria, e como queria, que ele também acreditasse que nós DOIS poderíamos andar no mesmo caminho e viver no mesmo piso.

Gostaria que ele tivesse me tirado para dançar, mas quando olhei para o lado, ele não estava mais lá, porque no fim ele nunca existiu!

Então continuo na pista.

Ps: Esse texto é meu para todas as amigas e amigos que já criaram um mundo de expectativas e se apaixonaram por uma ilusão, quem nunca, né? Só sei dizer – ‘Eu também’, e acho que isso é o suficiente.

c024f-cora25c325a725c325a3omachucado

Tons de Cinza

Nada como outras perspectivas para entender que o copo pode estar meio cheio, quando outras pessoas o percebem meio vazio.

Nada como outras perspectivas para começar a ser grato pelo que tem, e perceber o amor que é seu quando vai para um lugar aonde ele é escasso.

Nada como outras perspectivas para te fazer sorrir e dançar na chuva, ao invés de ficar frustrado que seu sapato molhou.

Nada como outras perspectivas para perdoar o outro, e estender um pouco mais de graça, quando consegue olhar para os seus próprios erros, e entender que todos temos falhas.

Nada como outras perspectivas para estar agradecido de que foi para uma viagem programada, ainda que não tenha sido tão legal assim.

Nada como outras perspectivas para sentar-se à mesa e ser grato pela  sua comida  de todo dia.

Nada como outras perspectivas para estender os braços e dar afeto quando percebe o tanto que já recebeu e o tanto que o mundo precisa!

Ps:  Da série de texto Tons. Aproveite e leia o TONS DE VERDE aqui também.